O Zurich Insurance Group, através da Z Zurich Foundation, destina R$ 2 milhões ao projeto inclusivo Talents for the Future que, durante 3 anos auxiliará adolescentes de 16 a 18 anos a ingressar no mercado de trabalho. A iniciativa priorizará a formação profissional de mulheres, afrodescendentes, pessoas trans, deficientes e refugiados

A Z Zurich Foundation (entidade do Zurich Insurance Group que se dedica a investimentos em projetos comunitários) e o Instituto Techmail (ITM) desenvolveram em parceria o Projeto Talents for the Future, que tem o objetivo de capacitar profissionalmente jovens em estado de vulnerabilidade social e consequentemente aumentar a empregabilidade no mercado de trabalho – de seguros em especial, já que uma parte dos participantes poderá estagiar no escritório da Zurich, fazer parte do programa de Jovem Aprendiz ou mesmo ser admitidos pela companhia após terem passados pelo programa.

Inclusiva, a iniciativa é focada preferencialmente em mulheres, afrodescendentes, pessoas trans, deficientes e refugiados de 16 a 18 anos, desde que estejam cursando o Ensino Médio em escolas públicas. Durante os 3 anos da parceria do ITM com a Z Zurich Foundation, 360 jovens de São Paulo, distribuídos em 12 turmas de 30 alunos cada, serão beneficiados. O primeiro grupo apresenta o Trabalho de Conclusão de Curso no próximo dia 17 de dezembro. A seguradora destinará R$ 2 milhões no projeto, até a conclusão de todos os grupos, no final de 2023.

“O Projeto Talents for the Future visa a preparação de adolescentes de baixa renda para inserção no mercado de trabalho, utilizando contraturno escolar. Além de aulas de reforço da grade curricular, palestras, projetos e aulas técnicas – inclusive sobre o mercado de seguros –, os jovens também são orientados sobre como elaborar um currículo e se preparar para entrevistas”, conta o diretor de Recursos Humanos da Zurich, Carlos Toledo.

Cabe ao ITM, que é um centro de ensino sem fins lucrativos, especializado na formação/capacitação de aprendizes para o mercado securitário, fornecer essa bagagem aos participantes. Já a Zurich provê mentoria para os jovens capacitados por meio de seus colaboradores, cuja expertise pode contribuir no programa de formação e que estão sendo convidados a entregar módulos extras ao projeto de capacitação.

Todo o processo tem duração prevista de 18 meses, durante o qual os participantes têm ampla mentoria, além de contar com benefícios, como vale-transporte, uniforme, fornecimento de três refeições diárias para as aulas presenciais, além de acesso ao Instituto Techmail. O primeiro mês é baseado em recrutamento e seleção dos adolescentes, realizando preparo técnico e comportamental, acompanhamento e avaliação periódicos, que contribuem para que os jovens possam ter novas oportunidades nesse início da vida profissional. Depois, durante 90 dias, eles passam por cursos de capacitação, durante o qual assistem palestras e têm vivências empresariais. Em seguida, por 15 meses passam por programas de aprendizagem, sempre com acompanhamento, tanto nas atividades práticas quanto teóricas. Por fim, a fase de empregabilidade, durante a qual alguns têm capacitação básicas, podem fazer estágio ou mesmo participar do Programa Jovem Aprendiz.

O ITM, tem como manifesto “combater a desigualdade social através da educação e emprego” e a Zurich tem a ambição de se tornar uma das empresas mais responsáveis e de maior impacto no mundo. Além disso, a parceria entre ambos está alinhada aos pilares do Conselho de Diversidade e Inclusão da Zurich. “A intenção do conselho é ganhar ainda mais força nos projetos e programas que proporcionaram mudanças comportamentais, com resultados impactantes e positivos para a cultura organizacional e a promoção de atitudes inclusivas entre as equipes. Por isso que a Z Zurich Foundation está direcionando recursos financeiros no Projeto Talents for the Future”, finaliza Carlos.

Desemprego e desocupação é maior entre jovens

De acordo com a Pnad Covid, pesquisa que iniciou no país em maio de 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego em setembro, de 14%, foi a maior da série histórica. A taxa de desocupação é superior entre as mulheres (16,2% face a 11,7% dos homens) e entre aqueles que se declaram pretos e pardos (16,1% face a 11,5% dos brancos).

Pelo fator idade, os mais jovens são os que apresentam as maiores taxas de desemprego: 23,6% para as pessoas com idade entre 14 e 29 anos. A título de comparação, é de 10,8% entre os que possuem entre 30 e 49, e 8,9% nos que têm entre 50 e 59. Pelo fator escolaridade é maior naqueles que não possuem instrução ou que contam com fundamental incompleto: 14,6% face aos 18,6% das pessoas com ensino fundamental completo e 15,8% nas com ensino médio.

Nesse cenário, a evasão escolar é mais um componente que põe os jovens no centro do problema da falta de capacitação para o mercado de trabalho. Também segundo o IBGE, das 50 milhões de pessoas com idade entre 14 e 29 anos no Brasil, cerca de 20% não terminaram algumas das etapas da educação básica – e cuja maioria é formada por pretos e pardos, conforme designação da entidade.

“Cada vez mais as empresas serão avaliadas pelas suas iniciativas sustentáveis, principalmente pelas gerações mais jovens, engajadas com causas que contribuam para um mundo melhor para todos. A Zurich tem o objetivo de ajudar cada vez mais essas pessoas”, diz o diretor de Recursos Humanos da empresa, Carlos Toledo.