A Pottencial Seguradora, que se consolidou como um dos principais players do mercado, se antecipou às exigências da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e se tornou a primeira seguradora do Brasil e realizar o registro eletrônico das apólices de Seguro Garantia no Sistema de Registro de Operações (SRO) junto à B3, que está entre as empresas homologadas para operar a ferramenta. O primeiro registro foi feito no dia 16 de outubro, mais de duas semanas antes da data-limite estabelecida pela agência reguladora, que determinou que, a partir de 3 de novembro, todas as seguradoras do país estariam obrigadas a registrar suas operações de Seguro Garantia na plataforma.  Na segunda-feira (16), um mês após a primeira inscrição eletrônica, a Pottencial Seguradora já havia ultrapassado a marca de cinco mil apólices registradas.

Para o head de arquitetura e TI da Pottencial, Gibran Silva, a agilidade no registro de apólices reflete a busca constante da empresa pela excelência, inovação e pioneirismo. “A agilidade está no DNA da nossa empresa. Nos preocupamos em ser rápidos em todos os processos, seja na emissão de apólices ou na resolubilidade das demandas dos clientes.  Ao lado da B3, fomos ágeis mais uma vez ao dar o primeiro passo em direção a tão importante e necessária digitalização do setor”. Com a iniciativa, prevista na resolução Resolução CNSP nº 383, a Susep tem como objetivos aumentar a transparência, a eficiência e a segurança no registro das operações.

Até 2023, todas as operações de mercado deverão integrar o SRO, mas a expectativa da Pottencial é de que 100% das apólices estejam inscritas na ferramenta bem antes da data prevista. “Superamos nossas expectativas ao fazer a virada antes do prazo estipulado pela Susep e devemos isso ao nosso time, sempre muito dedicado, aos nossos clientes e parceiros, entre eles a B3, a Squadra Tecnologia e a própria Susep. Acreditamos que até o início de dezembro 100% das apólices de Seguro Garantia estarão inscritas no sistema”, ressalta o Gibran.

A B3 foi credenciada pela Susep para operar o Sistema de Registro de Operações (SRO) através do seu sistema InsurConnect e escolhida pela Pottencial Seguradora como sua parceira. Para operar o SRO, as registradoras devem seguir rígidos protocolos de segurança e governança, baseados nos Princípios para Infraestruturas do Mercado Financeiro do Bank for International Settlements (BIS), como determinam as regras aprovadas pela Susep este ano. Entre os critérios está a exigência de patrimônio mínimo de R$ 15 milhões e capacidade técnico-administrativa. Normas de segurança da informação, como as estabelecidas pela LGPD também serão rigorosamente fiscalizadas pela Susep.