Após a vitória de Joe Biden nas eleições dos EUA, o mercado doméstico acompanhou o movimento do exterior, que reagiu com alívio de curto prazo após a resolução pacífica e rápida das eleições no país. “Estamos vivendo uma correção técnica muito mais do que uma mudança estrutural. O mercado já havia antecipado a possibilidade de vitória do candidato democrata”, explica Rodrigo Marques de Almeida, CIO do Andbank Brasil.

Apesar dos números positivos, o CIO explica que o movimento de volatilidade deve continuar. “A partir de agora, os investidores vão reavaliar o mix de política econômica que será adotado pelo novo governo americano e de que forma isso será benéfico para países emergentes, aí incluído o Brasil”.

“É preciso saber qual vai ser o padrão a ser adotado para as políticas fiscal e monetária americanas. No caso brasileiro, os desafios fiscais para o próximo ano são gigantescos”, completa.

Nos EUA, a dúvida agora está no Senado. Com o cenário indefinido na Geórgia, ainda está incerto se os democratas serão maioria ou minoria no Senado. “A decisão pode ficar para janeiro”, lembra Eduardo Antón, Head of Portfolio Management Americas do grupo Andbank.