Sinqia (B3: SQIA3), principal provedora de tecnologia e inovação para o setor financeiro no Brasil, anuncia seus resultados do terceiro trimestre de 2020 com novos recordes financeiros e diversas novidades.

A empresa recebeu mais uma vez a certificação Great Place to Work, obtendo uma pontuação 15% superior à de 2019, num momento em que o trabalho remoto tornou a gestão de pessoas ainda mais desafiadora. De acordo com Bernardo Gomes, Diretor Presidente, os indicadores de clima e turnover têm se mantido em níveis favoráveis, comprovando que a Sinqia continua sendo uma excelente empresa para trabalhar.

Além disso, figurou novamente no IDC Fintech Rankings, que inclui uma classificação dos principais provedores globais de tecnologia para instituições financeiras e é uma das principais referências do setor. Segundo o executivo, a empresa apresentou um crescimento substancial das receitas denominadas em Reais no período de análise (2019 vs. 2018) e foi a única provedora brasileira de software.

E também entrou pela primeira vez no ISG Provider Lens, que faz uma comparação de prestadores de serviços com base na avaliação independente do ISG e é uma importante referência para compradores de tecnologia no Brasil e no mundo. Ainda de acordo com Gomes, em 2020, a empresa foi incluída em três dos quadrantes da pesquisa.

A solução da Sinqia para o Pix continuou ganhando tração. A empresa agora estendeu seu escopo para os participantes indiretos, que são a maioria, e celebrou uma aliança técnica e comercial com a Microsoft para comercializar e evoluir o SQ Pix by Azure. “Continuamos acreditando que o maior potencial para a Sinqia surgirá em uma segunda onda, quando os participantes do Pix buscarem uma extensão da sua oferta de produtos financeiros, demandando novos softwares como, por exemplo, os de conta corrente, crédito, investimentos, entre outros. E não é só potencial, já temos o primeiro case dessa tese”, afirma o executivo.

A Sinqia deu continuidade aos investimentos no modelo de inovação aberta, que vem ganhando capilaridade e maturidade. “No 2T20, havíamos participado do Batch #8, trazendo empresas extremamente interessantes e aderentes como a Cashway (BaaS), Data Rudder (IA), iBotz (RPA) e Openbox.ai (IA). E no 3T20 participamos do Batch #9, uma nova rodada de seleção de oportunidades. Estamos cada vez mais conectados com o ecossistema de inovação no setor financeiro”, reforça Gomes.

E avançou nos investimentos em M&A com mais uma novidade: em outubro anunciou a aquisição da Tree Solution, se inserindo no segmento de câmbio em um momento muito oportuno, visto que ele deverá se expandir significativamente, seguindo o exemplo do mercado de pagamentos, devido à agenda regulatória do Bacen (conforme o PL 5.387/19) para sua modernização.

Com relação aos resultados financeiros, a receita líquida registrou recorde de R$ 52,8 milhões, crescimento de 13,8% sobre o 3T19, com evolução robusta de 32,7% em Serviços, proporcionada pelo excelente desempenho das novas ofertas para apoiar a transformação digital; os custos somaram de R$ 35,3 milhões, crescimento de 15,2%, porque a empresa continua suportando elevados gastos com Implantação para dar vazão às vendas de trimestres anteriores e ampliando o time de P&D para unificar os softwares de previdência provenientes de aquisições passadas (attps, Atena, ADSPrev e Stock&Info). E as despesas gerais e administrativas foram de R$ 8,6 milhões, redução de 12,5% sobre o 3T19, e representaram 16,4% da receita líquida, o percentual mais baixo da série. Para Gomes, isso reflete principalmente os diversos esforços para contenção dos gastos no momento de incerteza que se apresentava nos dois primeiros trimestres do ano e sinergias das aquisições realizadas em 2019.

Isso tudo possibilitou um novo recorde de EBITDA ajustado de R$ 8,8 milhões, crescimento de 46,3% sobre o 3T19, com margem EBITDA ajustada de 16,7%, aumento de 3,7 pontos percentuais. “Estamos perseguindo incrementos consistentes de lucratividade, otimizando o negócio orgânico e selecionando aquisições com margens mais elevadas, de forma a construir uma baseline de margem EBITDA mais alto no curto prazo”, reforça o executivo.

Por fim, a Sinqia finalizou o trimestre com caixa bruto de R$ 339,7 milhões (vs. R$ 336,3 milhões no 2T20), um aumento discreto de R$ 3,4 milhões mesmo depois de uma nova redução no endividamento de R$ 4,6 milhões. “Tendo transcorrido três dos quatro trimestres, temos uma visão cada vez mais cristalina e positiva sobre as perspectivas da nossa empresa para 2020. Ainda há muito o que realizar nesse ano: continuamos focados na execução do nosso plano de consolidação e inovação, e na entrega de resultados crescentes”, conclui.