Paving Virtual vai até quinta-feira. Hoje os destaques são as palestras do presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, André Kuhn, e do ex-jogador de vôlei da seleção brasileira Giba

Tarcísio Gomes de Freitas

O Ministério da Infraestrutura se manteve plenamente ativo neste ano. “O que nós mudamos naquilo que tínhamos planejado antes da pandemia. A resposta é nada”, disse o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, durante a Paving Virtual, mais importante e inovador evento híbrido do setor de infraestrutura viária e rodoviária do Brasil. Com isso, o Ministério chegou a setembro com 93% do executado, o que responde a 66 obras entregues. “Isso é maior do que o número de semanas de um ano”, acrescentou.

Para acompanhar a programação desta quarta (30 de setembro) e na quinta, basta acessar o site oficial: www.pavingvirtual.com.br.

De acordo com o Ministro, a infraestrutura vai ser uma alavanca para a retomada em 2021. “Teremos muitos leilões no próximo ano. Atualmente, são 30 ativos em análise no Tribunal de Contas da União (TCU). Vamos contratar os R$ 250 bilhões de investimento até 2022”, comentou. Para ele, o investidor virá para o Brasil porque o que ele busca o país tem condições de entregar. E isso vai colaborar com a questão da falta de recursos públicos para a área.

Freitas ressaltou na Paving Virtual que um dos pilares do trabalho realizado pelo Ministério é a transferência massiva de ativos para a iniciativa privada. “Realmente, não adianta ficar brigando todos os anos para receber somente 6% do orçamento, enquanto a iniciativa tem muito dinheiro. São US$ 17 trilhões com juros negativos investidos, por exemplo, em instrumentos do tesouro, que não estão dando retorno e podem vir para a área de infraestrutura nacional”, avaliou. “O investidor está em busca de estabilidade, contratos mirando longo prazo e retorno. Temos capacidade de proporcionar um retorno real de 8% a 11% ao ano”, acrescentou.

Os profissionais que participaram virtualmente do evento tiveram a oportunidade de enviara perguntas ao Ministro. Em uma dos questionamentos, ele tratou da importância de finalizar as obras em andamento. “Teremos novas obras no próximo ano para combater mazelas antigas. Mas, nosso foco está naquelas que estão rodando porque num cenário de pouco recurso não podemos pulverizar o dinheiro em um monte de projetos e não finalizar”.

O marco legal do saneamento também foi lembrado pelo Ministro, que ponderou sobre o potencial de mercado nesse segmento, que possui tarifa vinculada, assim como ele citou a valorização do modal ferroviário, por meio da realização de obras por todo o país.

Na abertura da Paving Virtual, Guilherme Ramos, diretor da STO Feiras e Eventos e da Paving Virtual, comentou sobre a importância do evento para o segmento da infraestrutura viária e rodoviária do país, tanto é que mais de 15 mil profissionais se inscreveram para acompanhar a programação de palestras e conhecer os lançamentos, soluções, tecnologias, produtos, equipamentos e serviços das empresas no pavilhão virtual.

Para o Senador Major Olímpio, a Paving se transformou em um grande evento mundial de infraestrutura e se superou ao promover esta edição em formato híbrido. Ele ressaltou que essa aposta da STO Feiras e Eventos em realizar o evento mesmo diante da pandemia reforça sua credibilidade no mercado. Uma informação relevante trazida pelo Senador foi o trabalho do Congresso Nacional para derrubar o veto da Presidência da República, a fim de manter a desoneração da folha de pagamento de 17 setores. Em sua avaliação, caso isso não ocorra, o impacto nas empresas seria um aumento de 7,5% a 8% no custo, o que poderia inviabilizar a continuidade da companhia, aumentando, assim, o desemprego.

O CEO da Mauá Capital, Luiz Figueiredo, fez uma avaliação do cenário econômico, trazendo informações sobre o mercado de capital, que será a grande alternativa para investimentos na área de infraestrutura. Ele comentou sobre a importância da educação financeira e como a solidariedade foi fundamental na pandemia. Ele ponderou que as grandes empresas perceberam como o ecossistema afeta os negócios, por isso precisaram atuar também junto dos fornecedores e outros atores da cadeia. Ainda ressaltou o papel das fintechs no pós-pandemia. No caso da infraestrutura, ele asseverou que “não dá para deixar de investir porque é um setor fundamental. Não é porque o mundo virtual está se desenvolvendo, que o mundo físico deixará de ser importante”.

PO Almeida, da Live Marketing, falou sobre a importância dos eventos presenciais. Ele citou que são esperados mais de 800 eventos em São Paulo no próximo ano, demonstrando uma retomada do setor. A seu ver, os conceitos dos eventos continuaram firmes, mesmo diante da pandemia, que impactou fortemente os negócios. Por fim, ele ressaltou que essa é uma atividade que necessita de recursos da iniciativa privada.

Os engenheiros Fabricio Rossi, Jefferson Inoue, Macel Wallace e Rodrigo Nunes avaliaram o setor de infraestrutura e obras. Eles reforçaram que o setor da construção civil não parou durante esse período de pandemia, com todos os protocolos de segurança para garantir a saúde dos profissionais do setor. E, também, destacaram as possibilidades de avanço da infraestrutura nacional nos próximos anos.

Por fim, o diretor de programa do Ministério da Infraestrutura, Mateus Szwarcwing, e o diretor de pesquisa e planejamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, abordaram sobre “Programa Infra Competitividade e Projeto BIM” e “O Papel do DNIT no desenvolvimento da infraestrutura”. A Romanelli encerrou a programação do dia com uma live de lançamento de uma nova linha de produtos.

Programação

Nesta quarta-feira, o destaque fica por conta da participação do presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, André Kuhn, a partir das 18h10, que tratará do tema Reequilíbrio Econômico-Financeiro e Demais Pleitos em Contratos de Infraestrutura nos Tempos de Pandemia. A programação será aberta com o diretor superintendente da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR), Flavio Freitas, sobre o “Sistema Free Flow”. A seguir o arquiteto e urbanista Pedro Chaves e pelo consultor em BIM Anderson Santos falarão sobre a aplicação prática da ferramenta em projetos de infraestrutura. O BIM na Valec será tema das apresentações do diretor de Engenharia na Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, Washington Luke e do analista em Infraestrutura de Transportes do DNIT, Anderson Alvarenga.

Ainda neste dia, estão programados o Painel ABSEV sobre conceitos 3ES para melhorias da segurança viária, com a participação do presidente da J. M. Morales & Associates, Juan M. Morales, a apresentação sobre o Sistema para Proteção de Motociclistas (SPM) em barreiras de segurança por Antonio Amengual, do Instituto Vial Ibero-Americano, e a participação do cientista político Lucas de Aragão, que tratará sobre o Cenário Político para a Retomada. Por fim, o medalhista olímpico e ex-jogador de vôlei da seleção brasileira Giba encerra a programação com seu depoimento.

No dia 1º de outubro, o destaque é a participação do Ministro Ricardo Salles às 20h00. A programação será iniciada pelo consultor Fernando Pugliero e pela engenheira Shanna Lucchesi, que abordarão o tema “Metodologia IRAP para concessões rodoviárias: a aplicação da metodologia como KPI de segurança viária”. Logo após, Guillermo Montestruque e Natália Correia, do CTG ABINT, tratarão da “Recuperação e Aumento da Vida Útil de pavimentos com o uso de Geossintéticos”.

Neste dia, estão previstos também dois debates. O primeiro “O Concreto na Pavimentação Urbana”, terá as participações do diretor presidente da Avantec Engenharia, Kleber Pereira Machado, e da subsecretária de projetos da Secretaria de Obras e Infraestrutura do Distrito Federal, Ery Brandi, e mediação de Erika Mota. O segundo debate sobre a competitividade do concreto terá as presenças do gerente do Programa Estratégico do Exército: A Nova Logística Militar Terrestre, general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, do engenheiro Marcos Dutra e  do Diretor de Engenharia na Houer Concessões, Roger Veloso. A medição será do diretor de Planejamento e Mercado da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), Valter Frigieri.

Na sequência, João Fornari e Marcelo Figueiral ministrarão palestra sobre “A transformação digital para empresas de infraestrutura rodoviária” e Francisco Pumares, da Road Steel Engineering falará sobre “Barreiras metálicas em pontes e obras de arte”. As fabricantes Caterpillar, Dynapac, John Deere e Wirtgen Group apresentam suas tecnologias e equipamentos voltados para atender as concessionárias de rodovias. A Komatsu também ministra uma palestra voltada para o segmento. Finalmente, o gerente da Unidade de Negócios – Pavetech Da Ingevity, Hernando Macedo de Farias abordará o assunto “Misturas asfálticas de baixa emissão”.