O evento será realizado em Ribeirão Preto amanhã em conjunto com escritório de advocacia. Um dos principais temas do encontro é a Lei Geral de Proteção de Dados no agronegócio

São Paulo, março de 2020 – A especialista em risco cibernético da consultoria de risco Marsh Brasil, Marta Schuh, será uma das palestrantes do evento “Desafios do agronegócio, direito e economia” promovido pelo escritório VBSO – Vaz, Buranello, Shingaki & Oioli Advogados. O encontro, patrocinado pela Marsh, trará painéis sobre o cenário macroeconômico e agronegócio, finanças estruturadas e títulos verdes, reforma tributária e os principais aspectos e a LGPD.

No painel “Lei Geral de Proteção de Dados” a especialista em risco cibernético da consultoria de risco Marsh Brasil, abordará a importância das empresas do setor se adequarem a regulamentação. A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais entrará em vigor em 29 de dezembro desse ano e tem como objetivo regulamentar como as organizações utilizam, compartilham e armazenam dados.

“Com violações de segurança de dados se proliferando, é necessário identificar as vulnerabilidades e desenvolver uma estratégia de segurança cibernética eficaz. As empresas de todos os segmentos precisam estar preparadas para gerenciar riscos relacionados à proteção de seus dados e de seus clientes e fornecedores”, afirma Marta Schuh, líder de cyber da Marsh Brasil.

Para a executiva, no agribusiness a tecnologia está transformando drasticamente os ambientes de negócios a nível global, com avanços contínuos em áreas que vão desde inteligência artificial e Internet das Coisas (IoT) até a disponibilidade sobre dados e blockchain. A velocidade com que as tecnologias digitais evoluem e rompem com os modelos tradicionais de negócios segue aumentando. Enquanto isso, os riscos cibernéticos parecem evoluir ainda mais rápido.

“O risco cibernético passou de preocupação com roubo de dados e privacidade a esquemas mais sofisticados que interrompem operações das indústrias, custando bilhões de dólares à economia. As organizações precisam estar preparadas com coberturas de seguros adequadas e robustas estratégias de gestão de riscos”, diz.

conteúdo|comunicação