Empresas de pulverização com drone, recrutamento em RH e Direito do Consumidor apostam em tecnologia como ferramenta principal

São Paulo, dezembro 2019 – O ano de 2019 está chegando ao fim, junto dele uma década e neste período é comum analisarmos os acontecimentos dos últimos dez anos e fazer um balanço do que foi bom ou não. Nesta década, uma movimentação extremamente positiva para o mercado e a economia foi o boom das startups – movimento que começou a tomar forma no início desta década e moldou todo um ecossistema – que somava ideias inovadoras de empreendedores às necessidades de um determinado nicho.

A aposta na inteligência artificial

Recursos humanos, direito e agricultura são algumas das áreas que se abriram aos avanços tecnológicos e se beneficiaram das ideias que startups trazem – além de seguirem as tendências e mudanças de comportamento do consumidor. Para isso, foi necessário muito estudo e investimento em tecnologia, em especial em AI Inteligência Artificial. ARPAC, Justiça Express e Gupy são alguns exemplos de startups que apostaram em AI e estão colhendo resultados positivos após o investimento.

Arpac

Fundada em 2016 pelo administrador de empresas e piloto de aviões Eduardo Goerl, a startup é especializada em pulverização agrícola por meio de drones, e realiza o mapeamento da área – identificando com precisão o foco da infestação – e a condução do drone graças à inteligência artificial.

Justiça Express

A legaltech que conecta pessoas a advogados, fundada pelo empresário e investidor Marcelo Callegari, investiu em tecnologia artificial capaz de triar as reclamações que a plataforma recebe e assim, avaliará se o caso é passível de providência jurídica ou não.

Gupy

Fundada em 2015, por Mariana Dias, a startup líder em sistema de recrutamento com base em inteligência artificial e recentemente desenvolveu a robô Gaia, nome dado à inteligência artificial, que é capaz de analisar os currículos conforme perfil e pré-requisitos de cada vaga, ranqueando os candidatos que tenham maior aderência ao posto.

Sobre a ARPAC

Fundada em 2016, pelo administrador de empresas e piloto de avião, Eduardo Goerl. A ARPAC nasceu após Eduardo enxergar potencial de utilização de tecnologia para pulverização agrícola. Após conseguir aporte inicial de um investidor anjo, a empresa conseguiu contratar dois engenheiros para construir um drone com alta capacidade de carga para pulverização. Desde então a ARPAC passou a firmar parceria, entre elas: ACE, BASF, Pulse (Raízen), Agribela e Taranis, tendo voado 12 mil hectares entre químicos, biológicos e imagens, contando com 17 funcionários e já recebeu 2,5 milhões de reais em investimentos (BVC, ACE e investidores-anjo).

Sobre a Justiça Express

Fundada em 2016, pelo empresário e investidor em diferentes plataformas de tecnologia, Marcelo Callegari, a Justiça Express funciona como uma plataforma que conecta pessoas a advogados. Com a missão de democratizar o acesso da população a um serviço jurídico de qualidade e descomplicado, a empresa já prestou auxílio a milhares de pessoas na Grande São Paulo.

Sobre a Gupy
A Gupy é líder em sistema de recrutamento com base em Inteligência Artificial no Brasil. Utilizando Inteligência Artificial, People Analytics e um grande foco em usabilidade e experiência do usuário, o software suporta 100% da gestão de candidatos e vagas e oferece uma triagem automática ao identificar os perfis com maior aderência à vaga. O objetivo da startup é transformar a experiência do recrutamento em algo simples e assertivo para os candidatos se desenvolverem durante seus processos de seleção, além de possibilitar que os RHs das empresas e seus Gestores consigam rapidamente fechar uma vaga com o talento mais aderente ao perfil. Com grandes clientes como Ambev, GPA, Sicredi, Vivo e Kraft Heinz e atuação em cinco países, o projeto foi acelerado pela Telefónica Open Future e conta com investimentos da Canary, Yellow Venture, Maya Capital e Valor Capital.]

sevenpr